domingo, 4 de novembro de 2012

Tua ausência


Compor tristes melodias
no dorso da tua alma,
em manhãs tão frias, tão
calmas. E saber que a tua
ausência ocupa todo o
espaço que meu dia tem.




ilustração retirada do blog whispersintheattic.blogspot

10 comentários:

Marcia Melo Morais disse...

Belissimo poema,boa semana querido!

Franco disse...

...em dias longos e noites vazias,
somente o pensamento em ti...
aquece a alma em manhãs tão frias...

Muito bonito teu poema,inspirou-me até algumas palavras,mas sou melhor com as tintas.
Um Beijo!

Nádia Santos disse...

Ausência é sempre dolorida...

Anne M. Moor disse...

uma presença na ausência...

Por Amor disse...

Belo rangel é uma forma de estender ...ainda não sei talvez a vida ...Um grande abraço Pedro Pugliese

Sonia Schmorantz disse...

Como disse Marcel Proust:
"Para quem ama, não será a ausência a mais certa, a mais eficaz, a mais intensa, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças?"
Lindo poema
Um abraço

Anna Amorim disse...

"Compor tristes melodias no dorso da tua alma"

Bela composição, poeta.

Um abraço e ótima semana,

Anna Amorim

Solange disse...

meus dias não têm espaço.
a noite tomou conta de quase todos.
resta ainda um..
pequenino..
sem trancas.
onde o sol se mistura com o brilho dos meus olhos.

bjs.Sol

Tania regina Contreiras disse...

A ausência é espaçosa, sim. Um belo poema.
Beijos,

Luciana Amâncio disse...

Foto e poema em conexão perfeita!