domingo, 3 de fevereiro de 2013

Sou apenas


Sou apenas a última
hora dos bons dias,
a longa e lúcida
estrada que leva
à esquina esquecida
de todos os invernos.
Sou apenas a maré baixa,
que expõe na areia úmida
conchas e fantasias e
sonhos e noites vazias.
Sou apenas o sorriso
de um doente, verso
triste de um poema,
sem rima, sem pátria.
Sou apenas...


ilustração obtida no Google imagens

6 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcia Morais disse...

Belissimo querido amigo,boa semana!

Anne M. Moor disse...

"És apenas" um poeta do amor, da vida e do sentir! Continua assim... Sentindo, vivendo e poetando...

Bj

Anne M. Moor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Souza disse...

Belíssimo poema carregado de sensibilidade!

Nádia Santos disse...

O poeta pode ser tudo, até essa tristeza que passas nos teus versos. Tenha uma linda semana.