domingo, 3 de fevereiro de 2013

Sou apenas


Sou apenas a última
hora dos bons dias,
a longa e lúcida
estrada que leva
à esquina esquecida
de todos os invernos.
Sou apenas a maré baixa,
que expõe na areia úmida
conchas e fantasias e
sonhos e noites vazias.
Sou apenas o sorriso
de um doente, verso
triste de um poema,
sem rima, sem pátria.
Sou apenas...


ilustração obtida no Google imagens

6 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...

Existe um tesouro que é só teu...
a tua delicadeza e teu brilho são pérolas que jamais serão roubadas,pois se encontram dentro da alma tua.

beijos
Joelma

Marcia Morais disse...

Belissimo querido amigo,boa semana!

Anne M. Moor disse...

"És apenas" um poeta do amor, da vida e do sentir! Continua assim... Sentindo, vivendo e poetando...

Bj

Anne M. Moor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Souza disse...

Belíssimo poema carregado de sensibilidade!

Nádia Santos disse...

O poeta pode ser tudo, até essa tristeza que passas nos teus versos. Tenha uma linda semana.