segunda-feira, 13 de abril de 2009

Circo

Circo

Ando pela vida como artista de circo mambembe,
trocando arte por comida, sem grandes perspectivas.
O tempo passa e o circo viaja, diversão barata, acessível,
platéias cada vez menores, interesse se reduzindo.
E vamos envelhecendo: o circo, eu e os meus sonhos!
Não há novas atrações nem números sensacionais.
O circo parece ter perdido a magia e eu,
velho palhaço,
perdi, além do humor, esperanças...

Onde estão aquelas crianças, olhos brilhando,
ar de curiosidade, ingenuidade. A quem vou iludir?
É, o mundo mudou.
Menos eu!

24 comentários:

€ster disse...

Olá amigo!

Obrigada pela visitinha em meu blog!

bj e boa semana!

Serena Flor disse...

Saudades de Alguém
Saudades, um pedacinho de emoção
dentro da gente...
Um pedacinho de outra pessoa
dentro da gente...
Uma voz, um olhar, um toque.
De repente uma angústia.
Saudade do que não fez,
ou daquela vez.
Saudades...
Das coisas, do lugar, da pessoa...
De um beijo, de um carinho,
daquele jeito diferente...
Ou do sorriso, de repente...
Saudades de alguém...
Saudades de você meu lindo.
Beijos e ótima semana pra ti!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olha Rangel, realmente o tempo mudou muito, eu particularmente nunca esquecí dos meus tempos de criança, quando nas tardes de domingo ia ao circo e me divertia muito com os maravilhosos palhaços da época. O circo teve e continua tendo um papel importantíssimo no nosso mundo artístico e no nosso desenvolvimento cultural. Hoje, quase que em sua totalidade, os maiores astros e estrelas do teatro e da televisão, devem a sua iniciação ao circo. O palhaço não deve perder as esperanças porque a sua figura nunca morrerá, pois ficará sempre na memória do seu público.

Abraços,

Furtado.

Palma da Mão disse...

Tudo muda meu amigo, tudo muda...não convém é deixar que a mudança dos outros afecte a nossa...
Beijinhos
Boa semana
Liliana

poliana disse...

Poeta...

A magia do circo continua lá, nós é que crescemos e a ingenuidade da infância, do faz de conta ficou para trás...
Mas a esperança? Não é ela a última que morre?
Ah... Imortal...
A vida é uma mutação constante, o tempo é nossa substância e os sonhos são eternos...

Lindos poemas sempre!

Beijo....ma

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

E a gente, será que faz papel de palhaço trocando a realidade por sonhos? E se o mundo for melhor nos sonhos, que sejamos palhaços, então.

As crianças mudaram, sim.
O que é uma pena...

Mas pode ser que tudo mude de novo e esse brilho no olhar, embora escondido, apareça junto com a inocência, a vontade e curiosidade.

Abraço.

AC Rangel disse...

Mariana

Cada vez mais gosto de conversar com vc. Vc entendeu perfeitamente o que eu quis dizer e mais, tem as mesmas dúvidas que eu.
Será que ser palhaço, hoje, não seria a coisa mais certa.
Gosto dos seus escritos. Pena não ser possível comentar no teu blog ou não ter e mail no seu profile.

Beijo do velho palhaço...

brasileirinha disse...

A VIDA PASSA E EM MUITAS OCASIÕES PERDEMOS AS PERSPECTIVAS, MAS É NECESSÁRIO RECOMEÇAR, CONTINUAR, CASO CONTRÁRIO SEREMOS TRAGADOS PELA "MÁQUINA".
GRANDE SEMANA COM BOAS PERSPECTIVAS.

Anne M. Moor disse...

Rangel,
Todos nós ainda temos um pouco daquele palhaço em nós. O mundo mudou sim, mas nem tudo está ruim. Nós tivemos uma infância diferente e poderíamos dizer melhor - sem violência, fomos mais crianças na época certa. E jamais devemos deixar essa criança em nós morrer!!!

Lindíssimo poema que espelha as coisas de tua alma e a nossa tbm. Obrigada...

Beijo
Anne

Valéria disse...

Rangel,
O mundo mudou. Nós mudamos.
Mas os sonhos, esses precisam ser renovados, buscados, realizados.
Os palhaços estão de cara nova...
As crianças ainda buscam sorrisos, pipocas e balões...
E o velho palhaço, precisa buscar a criança dentro de si... onde ela está?
Abraços carinhosos.
Valéria

Opuntia disse...

...e o espetáculo não pode parar.

Bjo

Mariana disse...

É tudo recíproco.

Meu e-mail: turow.w@hotmail.com

Abraço.

Valéria Cristina disse...

Perfect coment Mr Rangel...
Kisses...
Hj estou 'péssima' para comentar ou qualquer coisa parecida...Estou além do down...
Kisses! Only kisses...
Later on, mais tarde... volto..OK?

Compulsão Diária disse...

Circo marimbondo, circo maramabaia...não mude!

Valéria Cristina disse...

AFF...RELENDO E RELENDO SEU CORAÇÃO DEBRUÇADO NAS CORDAS E PICADEIRO-VIDA...APLAUDO!!
BRAVOOOOO!!
SOMOS!! SOU!! ÉS!! SEREMOS!! PERMANECEREMOS!! VERDADEIRAMENTE PALHAÇOS...PINTADOS...ENGRAÇADOS...TÍMIDOS PERSONAGENS...MAS, VERDADEIROSSSSSSSSSS!!!E, VERDADEIRAMENTE 'AMADOSSSSSS'...POR INSTANTES...NA lEMBRANÇA...DO 'DEPOIS'...

ASSIM, SEJAMOS!!!

BRAVÍSSIMO, MR RANGEL

POUCO NOS RESTA ALÉM DE UM PICADEIRO E COrTINAS...RUBRAS CORTINAS...

Márcia Justiniano disse...

Circo vida
Arte vida
Diversão vida
Envelhecer vida
Sonhos vida
Esperanças vida
Crianças vida
Mundo vida
Eu
Pleno de vida!

Bjs

Joao P. disse...

Rangel:

Bonito post. Mais do que the "show must go on" é saber se faz sentido o show continuar...

Cumprimentos

João P.

Betania Lisboa disse...

Olá Rangel tudo bem?
Adoro visitar você.
Acredite
a mágica,
a esperança ainda habita nos olhos tristes ou felizes da criança que esta dentro de você.
Um super abraço e fique com Deus.

Soraya disse...

Seu blog é muito bonito, seus poemas um arrazo!

bjs

Pils disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pils disse...

Fui lendo teu texto e fazendo reminiscências...tempo q ñ volta mais...tempo bom...no entanto, já amadurecida, cansada, desiludida...a minha esperança é rejuvenescida pelo olhar das minhas crianças, meus sobrinhos, tão inebriados ainda pelo q perdi. mas ao mesmo tempo fui fazendo analogia do circo com a leitura... q também tem perdido o encanto e a magia...lindo texto...e obrigada pela visita...volte sempre!
Bjs Pils

repensandoconceitos disse...

Caro Rangel,

De fato estamos sendo palhaços. Contudo, um circo sem palhaços é um circo sem graça. Em outras palavras o mundo sem os poetas(palhaços muitas vezes) seria um mundo cinza. Benditos palhaços que florem meu mundo.

Forte abraço,

João

Bruno Scaloni disse...

As pessoas não são mais atentas as artes circenses nem de nenhuma outra forma. às vezes penso que nasci no século errado,mas depois reflito e vejo que não é o tempo que está errado é o o povo que não aprendeu a ser humano. Nçao aprendeu a ver as coisas simples e lindas da vida.
:/