sábado, 18 de outubro de 2008

Eu e o rio




Eu e o rio

Aquele rio, que na serra nasce,
que rapidamente se avoluma,
que no seu leito corre
apressado, decidido,
transparente,
lembra a minha prórpia vida...
Ela também não tem parada,
não decide pra onde vai,
corre solitária,
não volta e,
certamente,
terá seu fim no mar...


Um comentário:

armalu disse...

se o rio for rio de amor, em que morramos...