quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Lucidez


Lucidez

Como um pedaço de papel dançando
em plena ventania de agosto ou
como garrafa vazia atirada ao mar,
sei muito bem para onde vou...

Como um bêbado amante da madrugada

naquele mesmo bar de sempre ou
como um papagaio preso na gaiola,
sei muito bem o que vou dizer...


Como um milenar pedaço de pedra
jogado por acaso à beira da estrada ou
como aquele fantoche amarrado à árvore,
sei muito bem quem sou...


Quem, além de mim, se conhece tão bem?

Quem, além de ti, me conhece tão bem?



Foto: http://www.papagaio.wordpress.com

2 comentários:

João Ferreira disse...

Uma combinação única: beleza, profundidade e riqueza. Seus poemas revelam minha alma.

Obrigado,

João

armalu disse...

queria eu poder te conhecer melhor, mas tal não me é possivel, quem derá que neste momento se tenham reencontrado