terça-feira, 4 de novembro de 2008

Convivência


Convivência


E no meio do rio tem aquelas pedras,
que não sei se são para enfrentar a correnteza
ou para embelezar ainda mais o cenário.

E por mais que as águas subam e corram,
não importa o volume e velocidade,
as pedras lá permanecem.

E por mais que as pedras lá estejam,
firmes e sólidas,
as águas nunca deixam de correr.


Foto: http://www.1br.biz

Um comentário:

ameiavidainteira disse...

As mesmas pedras que embelezam o cenário também enfrentam a correnteza. E as águas contornam as pedras, adaptam-se, comungam o espaço. Essa é a graça do rio. Belo poema!