segunda-feira, 30 de março de 2009

Maria do Rosário Pedreira


A casa e o cheiro dos livros
(Maria do Rosário Pedreira)

São horas de voltar. Tu já não vens, e a espera
gastou a luz de mais um dia. Agora, quem passar
trará um corpo incerto dentro do nevoeiro,
mas terá outro nome e outro perfume. Eu volto


à casa onde contigo se demorou o verão e arrumo
os livros, escondo as cartas, viro os retratos
para a mesa. Sei que o tempo se magoou de nós.
Sei que não voltas, e ouço dizer que as aves
partem sempre assim, subitamente. Outras virão

em março, apago as luzes do quarto, nunca as mesmas.


4 comentários:

Toninho Moura disse...

É da natureza delas partir assim.

PS: Passa lá para ler a última história do Capitão Ócio para o Mês Internacional da Mulher!

Cristina Figueira disse...

Olá,
Vim visitar seus belos textos!
Parabéns! são todos deliciosas leituras...bjos carinhosos, Cris*

repensandoconceitos disse...

Caro Alfredo,É uma hora tê-lo como seguidor do meu blog, onde publico meus simples rabiscos, visto que você é um poeta de grande sensibilidade. Vou começar a ler seus textos, pois adoro poesias e já que não sei escrever poesias, vou me deliciar com as suas.Abraço forte,João

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

A magia dos livros
a textura do papel
o cheiro
as letras pululando
na direção das nossas pupilas ansiosas
e a imaginação voando solta.
Que delícia é ler..
pura gula..
pura luxúria!


Delicioso teu blog, Senhor!

*;-)