sexta-feira, 20 de março de 2009

Porta retrato

Porta retrato

Desafiando o tempo,
tua foto ainda está lá,
naquele velho porta retrato.
Repousa nele aquele olhar,
que tanto me encantou,
arma que usastes
para me conquistar.

Também aquele discreto
e envolvente sorriso teu
lá permanece,
ao contrário de você,
que há muito se foi.

Nossos desencontros,
trataram,
como um forte vendaval,
de nos separar, deixando
entre nós, uma distância
intransponível.

Olhares encantadores,
nunca mais.
Sorrisos envolventes,
nem pensar.
Você?
Somente no porta retrato,
perdida entre tantas fotos
de familiares distantes.


Ilustração: Matisse

7 comentários:

Serena Flor disse...

Meu querido, passando rapidinho só pra te desejar um feliz dia do blogueiro e pra te deixar um beijo!
Volto no fim do mês ok? Bjs.

Anne disse...

Rangel,
Tão triste, nostálgico... Por que será que a vida é assim? Mas se não fosse, não seria vida nénão meu querido amigo?

Teu poema carrega um sentimento palpável... Lindo como tudo que escreves...

Beijos

manuel afonso disse...

Muitos bons poemas o que implica muita entrega às musas inspiradoras e uma alma grande de artista. Muito bem. É a minha primeira visita, mas será primeira de muitas outras que se lhe seguirão.

Avassaladora disse...

Posso falar de cadeirinha...
Nada pior que um porta retratos...
Depois que tudo acabou, resta a fotografia dos momentos vividos...
Isso é angustiante!
O melhor é sapaterar em cima...rsrsrs
Mas a gente não tem coragem!


Beijos e carinhos!

POETICAMENTE FALANDO... disse...

Rangel, como todas, sem exceção, suas postagens são divinas!
Porta Retrato, um clássico!Cabe em qualquer momento de nossas vidas...
Bjs,

Reggina Moon

Sônia Brandão disse...

Muito triste quando apenas o retrato permanece.
Lindo poema.
bjs

Toninho Moura disse...

A foto no retrato existirá enquanto existir a lembrança.