segunda-feira, 4 de maio de 2009

Guerra suja

Guerra suja

O que eu não daria para resgatar da história
todas as derrotas que já sofri,
todos os recuos que eu pratiquei.

Onde está a honra desta luta insana?
Onde o caminho pra a vitória final?
Quantas vezes fui o ferimento,
o sangue que se derramou nesta
terra seca, neste fim de mundo
em que a vida se transformou.

Quantas vezes fui a lágrima doída,
o pranto que pelos mortos tantos
choraram?
Sou agora, travestido e sentido,
a ânsia de um fracasso anunciado,
de uma guerra suja, que o tempo
todo eu sabia, sem anunciar!


24 comentários:

Inês disse...

Poxa, obrigada!
Precisava mesmo de alguém que, lendo algumas de minhas horas, me aquietasse um pouco a solidão...
Andei procurando blogs legais, e, um levando a outro, vim cair aqui bem no meio das suas palavras!
Um belo encontro!
Abraço!

Anne M. Moor disse...

O resgate meu poeta Rangel está ao alcance de um coração tão cheio de sentir, de mágoas, de vontade de viver, de mudar, de abrir a porta d'alma e sair pro mar...

Versos maravilhosos!

Beijos de lágrimas

Vivian disse...

...toda guerra é suja.
mas sem ela não teríamos
as oportunidades de perceber
quão frágeis somos enquanto
alunos neste planeta sujeito
a todas as intempéries, a
todas as consequências de
nossas escolhas e ações.

beijo

Avassaladora disse...

Rangel se superou aqui...
Na guerra não há vencidos nem vencedores!

Linda postagem!

Beijos!

Alessandra Prado disse...

texto mto bonito, porem é triste ver coisas assim ainda. E obrigada pela visita no meu blog.

M. Nilza disse...

Oi, Rangel!

Que nossos corações nãosofram tanto diante de tantas guerras imundas que vemos e sentimos por aí.

Lindo Demais, porém triste.

Beijos

Christi... disse...

Bom dia Rangel, tremenda e inquietante, mas real, em entrelinhas, digna de ser sentida, porque é uma dor de guerra e suja.

Beijos querido, gosto muito de estar aqui, estive um pouco ausente, melhor agora pra navegar...

Chris

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

Eu te acompanho nas lágrimas!

Beijos e borboleteios

Anne M. Moor disse...

Relendo teu poema lembrei-me de que as guerras acontecem historicamente como uma predição de progresso e de coisas melhores... Por mais que não gostemos das 'guerras', elas fazem parte do nosso crescer, né não?

Beijo guerreiro :-)

Wanderley Elian Lima disse...

OLá, foi a primeira vez que visitei se blog. Inteligente e elegante com poemas sensíveis e belas ilustrações. Voltarei sempre.
Um abraço

Suzana disse...

Quantas vezes"somos" o ferimento?
Infelizmente muitas.
Bj

e..: Fiquei fã,voltarei sempre.

ŁǺи¥ disse...

Belo poema!
Estou seguindo teu blog!
Excelente noite! =)

Ademerson Novais disse...

As vezes me pego tb assim amigo, pensando nas vidas inacabadas...nas vidas cortadas..nas vidas interrupidas....na flor morta, esmagada, estilhaçada que mal abriu suas petalas ainda para o sol....sim amigo deixo as vezes as minhas guerras.. o meu campo de batalha...mesmo não podendo lutar nestas guerras que não são minhas...eu faço o minimo.....choro pelos mortos...pelas perdas...e uso minha arma mais poderosa a oração...rezo todos os dias para que a mão de Deus se abata sobre estes...

Ademerson Novais de Andrade

Ademerson Novais de Andrade

Mahria disse...

Boa Noite!

Guerra é a coisas mais sem sentido q a humanidade já inventou. Quantos sonhos e vidas desperdiçadas, por razões tão banais...

O poema é triste, no entanto verdadeiro.

Bjs

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

A garota do copo d'gua disse...

você saberia o verdadeiro valor das coisas se não conhecesse o lado amargo da vida?

Igor Monteiro. disse...

Simplesmente profissional, adorei seu blog, voltarei aqui mais vezes, já estou como seguidor e espero que visite meu blog, abraços fortes.

Serena Flor disse...

Texto lindo meu querido! Parabéns.
Deixo aqui um largo sorriso e um beijo bem grandão pra ti viu!

Mariana disse...

Honras não fazem parte de lutas.
Vitória final está na morte.
Morte é um belo trófeu a quem foi atrevido o bastante para viver.
Tem uma coisa que eu aprendi: "combata" a luta que existe em você primeiro, para que depois possa guerrear por algum outro motivo.
Até guerras de travesseiro são sujas.

Enfil Notelku disse...

Os Estados Unidos bombardearam por engano uma província afegã, matando centenas de pessoas, incluindo mulheres e crianças.
Ainda bem que a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu desculpas.

Gostei do seu blog.

Enfil

Joao P. disse...

Brilhante texto, mas bom mesmo!

Só mudava o título: Haverá guerras limpas?

Um abraço

João

gercicristal.blogspot.com disse...

adorei seu blog parabens, serei sua seguidora.

Roberto Ney disse...

Temos que enfrentar várias batalhas na vida. As guerras enterram os que se foram e ferem como bois os que ficaram. Não há vencedores...
grande abraço!

Sabrina Davanzo disse...

O momento da dor é que mais nos tem a ensinar.
Belas palavras!