sexta-feira, 21 de agosto de 2009

(Des)caminhos


Esta lágrima, teimosa,
que, persistente, insiste em rolar
por minha face,
não tem o poder de lavar minhas horas,
de lavrar minha pele,
nem de saber o destino da sorte.
Sulca terreno arenoso,
deixa só um trilho de ida,
sem achar o caminho de volta...

Ilustração: desvontade

21 comentários:

Anne M. Moor disse...

Rangel

A teimosia da lágrima te traz o sal da vida...

Beijão

Graça Pereira disse...

Não tem o poder de lavar as minhas horas...mas talvez tenha o pder de lavar tuas mágoas! Um bj grande e bom fds Graça

Wanderley Elian Lima disse...

Rangel, mais uma vez você brilhou.
bjs

Nanda Assis disse...

que lindo, e cheio de tristes sentimentos, do jeito que nos emociona.

bjosss...

Úrsula Avner disse...

caro poeta, poema sensível e delicado. Um abraço.

Sônia Brandão disse...

É triste, mas é lindo!
bjs

Vivian disse...

...caminhos sem volta
nos incita e nos move
a seguir em frente.

assim traçamos nossas metas,
querido meu...

bj intenso!

Sonia Schmorantz disse...

Acho que um poema assim, lava a alma também, é muito lindo!
Um abraço, bom final de semana

EDUARDO POISL disse...

FELICIDADE!

Quando o vento bater à sua porta,
Abra devagar,
Para deixa-lo entrar
Pense quanto de bom poderá receber,
Se estiver pronto para tal,
Mas as conquistas diárias
Estamos sempre apostando tudo
e a cada recomeço,
Percebemos, o quanto é gratificante,
Estar pôr perto de quem se gosta de verdade,
Sua simpatia,
Corresponde o momento de felicidade
e transborda de alegria
o coração de quem recebe.

(Roseli Alcântara)

Desejo toda a felicidade neste final de semana,
Um grande abraço.

Anne Lieri disse...

Que linda e comovente sua poesia!As lágrimas ficaram encantadas em seu verso!Abraços,

Giane disse...

Ah, essas lágrimas que teimam em cair, e a gente que tenta, tenta, e não consegue impedir...

Gosto muito dos teus poemas.

Beijos mil, Amigo Rangel!!!

Talita Prates disse...

Que maravilha! Fiquei profundamente tocada pela beleza deste singelo poema! Lindo, tão...
Tudo muito bonito, por aqui.

Quero agradecer imensamente tuas palavras tão gentis para mim lá no blog. Fico muito grata! E envaidecida! E aguardando tuas próximas visitas e partilhas!

Até o próximo poema!
Paz. =)

isolano disse...

Acho bonita esta ideia do descaminho das lágrimas, descaminho só de ida.

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Senhor Rangel,

ai que delícia de versos. É muito lindo como brincas com as palavras e com as lágrimas.
A d o r e i!

Besos de mel!

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX

Grupo Cero VersoB disse...

"lavrar minha pele"...
e desembarcar palavras
para dizer o indizível,

parabéns pelo blog!

Somos um grupo que trabalha a poesia em grupos de poesia
e nosso primeiro livro publicado
chama-se:
"ARADO DE PALAVRAS"
talvez teu "lavrar"
me levou ao "arado...

saudações poéticas,

neli araujo disse...

Olá, Rangel!

Conheço muito bem esta lágrima, teimosa...

Espero que a tua ajude a lavar a alma!

Belíssimas palavras, carregadas de sentimento!

Um abraço,

neli

Chá das Cinco disse...

Voltei para te visitar e ler esses lindos poemas,te espero no Chá das Cinco,você já fez um comentário lá e relendo tive vontade de lhe visitar.
Um abraço Gê

Valéria disse...

Rangel,
se até os rios tremem antes de cair no oceano...
se as águas dos rios não retornam pelo mesmo caminho; só seguem em frente...
Podemos fazer como elas, as águas, voltar aos rios em forma de chuva...
Fazer diferente... mas igual!
Valéria.

Sueli disse...

Lágrima que vai é melhor que não volte... Grande abraço!

Eduardo Martins disse...

Bom não seria fazer o caminho de volta, mas as que a expeliram, ou a que expeliu poderão ou poderá ser a mesma. Pelo menos as lágrimas se renovam.
Lendo esse poema fiz uma associação com um que tenho que chama-se Gotículas no azulejo. Os poemas e seus significados... Vá saber. Belo espaço!
abraço

Confesso disse...

Imortal