sábado, 8 de agosto de 2009

Dorme minha cidade

Dorme minha cidade
mergulhada na escuridão do silêncio.
A última voz do dia,
nela,
há muito se calou.
Descansam os que correram
e os que nada fizeram.
Nenhum ruído ouvido.
O pio de uma coruja, sequer.
Ouve-se apenas a lágrima,
insistente,
que rola por minha face,
desde que você me deixou.

Dorme minha cidade.
Menos a minha dor!


Ilustração: picturepixel

14 comentários:

Gislãne disse...

a minha dor tbm insisti em não adormecer
:*

Anne M. Moor disse...

Que poema terno e lindo Rangel!!! Flui de início ao fim...

Deixa a dor adormecer - nenhuma é pra sempre...

Beijos matinais :-)

Nanda Assis disse...

qnta força, solidão e verdade!

bjosss...

Majoli disse...

Quantas vezes no silêncio da madrugada meus olhos lacrimejaram.

Ficou linda, apesar de triste, esta tua poesia.

Beijos.

O mar me encanta completamente... disse...

É complicado tentar contrariar
as emoções que o coração sente...
Será mais fácil seguir em compasso,
acreditando que com o amanhecer,
virá também o sorriso.
Lindo versejar, Rangel.

Beijinho

Sônia Brandão disse...

A dor se alimenta do silêncio da noite.

Beijo e um ótimo domingo.

pauloveras disse...

Teu poema me fez lembrar quando saimos de casa, ainda na infância, na madrugada, e em dias de chuva: Silencio e solidão nas ruas.
Abraços e bom final de semana.

anareis disse...

Querida(o) nova(o) amiga(o) ,estou precisando muito de novos amigos pra me auxiliarem no meu projeto. Estou criando uma minibiblioteca comunitária e outras atividades pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui na minha comunidade carente no Rio de Janeiro,eu sózinha não conseguirei,mas com a ajuda dos amigos sim. Já comprei 120 livros e também ganhei livros até de portugal dos meus amigos dos meus Blogs: Eulucinha.blogspot.com ,se quiser pode visitar meus blogs do google,ficarei muito contente. A campanha de doações que estou fazendo pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 ou pode doar livros ou pode doar máquina de costura ou pode doar retalhos. Qualquer tipo de doação será bemvinda é só mandar-me um email para: asilvareis10@gmail.com , eu darei o endereço de remessa. As doações em dinheiro serão destinadas a compra de livros,material de construção,estantes,mesas,cadeiras,alimentos,etc. Se voce puder arrecadar doações para doar ao meu projeto serei eternamente grata. Muito obrigado pela sua atenção.

Anne M. Moor disse...

Tem uma homenagem lá no Prozac Café...

Mahria disse...

Saudade de vir aki. Tão bom.
A noite aqui na minha cidade tudo dorme tambem, menos o nome dele...


Bjinhos!

confesso disse...

"... Ouve-se apenas a lágrima, insistente, que rola por minha face, desde que você me deixou..."

No silêncio apenas a dor se faz gritante...

Lindo, sensibilidade à flor da pele...

Beijos silenciosos...

Maria Flor! disse...

Retribuindo sua visita que tanto me encantou, e mais encantada fiquei com seu belo blog e suas escritas então? Simplesmente MARAVILHOSAS!!!
Muita Luz em sua inspiração!
Eu vou e volto!

Beijos da Flor!

intervalo disse...

Rangel,passei para deixar um beijo de Boa noite e matar saudades,enquanto ....

Nenhum ruído ouvido.O pio de uma coruja, sequer.Dorme minha cidade mergulhada na escuridão do silêncio.

Lindo poema,belas palavras,sempre sentidas!beijoss meusss.Lia...

Graça Pereira disse...

Poema cheio de sensibilidade e tão real... Quantas vezes já é dia e a minha dor ainda não adoemeceu...
E a foto, a preto e branco? Com uma dignidade que a dor, tantas vezes confere. Parabens. Uma semana muito feliz e um bj Graça