sábado, 1 de agosto de 2009

Irene Lisboa


NOVA, NOVA, NOVA, NOVA
(Irene Lisboa 1892-1958)

Não era a minha alma que queria ter.
Esta alma já feita, com seu toque de sofrimento
e de resignação, sem pureza nem afoiteza.
Queria ter uma alma nova.
Decidida capaz de tudo ousar.
Nunca esta que tanto conheço, compassiva, torturada
de trazer por casa.
A alma que eu queria e devia ter...
Era uma alma asselvajada, impoluta, nova, nova,
nova, nova!

Ilustração: barbferreira

16 comentários:

Anne M. Moor disse...

A vontade Rangel é 50% do caminho...

Não conhecia esta poeta. Adorei o poema.

Beijos

Nanda Assis disse...

lindo poema encorajador!!!

bjosss...

Mahria disse...

Ah se pudessemos de vez quando trocar a alma, por outra nova, nova, nova, nova.

Bjs
Bom Domingo!

Guilherme disse...

Muito bom o poema
E seu blog também
Parabéns!!!!

Mahria disse...

Amorzinho
Dessa vez vc foi longe demais...
Me chamar de Inha???
Eu simplesmente adoro rsss


Bjinhos

bordadosdemim disse...

Quando ela morreu eu ainda nem era nascida e no entanto o seu poema tem uma línguagem tão nova, nova, nova, nova! Amei o poema!

Ótimo domingo

Ariadna Garibaldi

Vivian disse...

...sou tão feliz com a
minha alma.
ela é livre porque se faz
assim.

bj, meu poeta!

DIFERENTE disse...

Bonita reflexão!

Bom fim-de-semana.

ASS: Diferente

Valéria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valéria disse...

Rangel,
lindo o poema de Irene Lisboa,
me pergunto se ela pensava em mim qdo o escreveu (embora eu nem existisse...)
"A alma que eu queria e devia ter...
Era uma alma asselvajada, impoluta, nova, nova,
nova, nova!
Queria ter uma alma nova.
Decidida capaz de tudo ousar."
Às vezes acho que vc me conhece...
Obrigada por este blog tão perfeito....
Valéria

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Querido Senhor A. C. Rangel!

Sou encantada com teus versos. Escreves como poucos. Teu pensamento traduzido é, ao mesmo tempo, delicado e intenso. Esta é a tua marca.

Todas as pessoas que leram "Alma tua" adoraram, porque traduz com perfeição a essência da submissão. E nenhuma de nós, escravas submissas, pode expressar de forma mais bela o que sentimos. O Senhor disse por nós e te agradecemos por isto.

Peço tua permissão para deixar "Alma tua" definitivamente na lateral do meu blog, como um hino ao verdadeiro amor, à entrega despojada, e à submissão, com os creditos e o link de retorno para tua página, como fiz na postagem.

Doces besos nesta tua tão linda "Alma tua", Senhor.
Que a força criadora do universo te proteja sempre. Agradeço tua visita!
*sorrindo feliz*

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX

*;-)

Mline disse...

Estou encantada por suas palavras, sua sensibilidade, sua perfeita tradução do sentir. Ao fundo escuto a minha música predileta e sou só pensamentos... Sentimentos... Parabéns...perfeito.

Graça Pereira disse...

Gosto de Irene Lisboa! Parabéns pela escolha. Eu tb queri uma alma nova que fizesse parelha com o meu coração...porque esse, morre novo!
Belissima semana e um bj Graça.

LomiAyurveda disse...

Eu não quero nem uma nem outra quero a minha !!

E tu irás tendo belas surpresas e concretizando belos sonhos, com a tua alma de poeta !!

Beijo amigo

Serena Flor disse...

Eu também gostaria de ter uma alma nova...como gostaria!
Bela escolha e um belo poema de uma bela poetisa.
Um grande beijo e uma ótima semana meu lindo!

: A Letreira disse...

Oi moço, obrigada pelos dizeres no Letreira. Apareça sempre, siga-me com os bons... Abs, Sonia (A Letreira)