terça-feira, 2 de junho de 2009

Ruas antigas


Ando por aquelas ruas do passado,
já desbotadas como as fotos da infância,
e é como se sentisse o sangue correndo
mais rápido pelas veias,
como se minha alma se identificasse
com cada pedaço daquele chão,
como se cada uma daquelas
casas antigas que ainda resistem
à modernidade dos prédios
que invadem aquele meu sonho.

E lá sinto o que é ser feliz.
Doces recordações que me assaltam,
sempre que lá ponho os pés.
O prazer, quente, invade meus olhos,
caminho direto para o coração.

A alma de lá sai lavada, pura,
renovada, de volta a outros lugares
tão reais, tão sólidos, tão coloridos.

Nenhum feliz como lá!

Foto: Vila Maria Zélia - Belenzinho-SP

22 comentários:

Anne M. Moor disse...

Nostalgia de São Paulo? Infância, adolescência - tempos bons de recordar né não?

Beijão

AC Rangel disse...

Minha infância em São Paulo. Às vezes bate uma saudadezinha.

Avassaladora disse...

Muito saudosista v...

Uma torrente de palavras e um encanto sem fim...

Vc anda inspirado, poemas assim tão belo e que vc parece que os cria apenas com um sopro...

Denise disse...

Reviver..........rememorar e trazer pra junto de si...........energia e emoçoes


Tudo muito lindo por aqui

carinho

Denise

gislane disse...

é bom recordar!!!é bom viver!!!!
amei seu txt...
bj

Anne Lieri disse...

Que linda sua poesia e que bela imagem de sua infancia!Também tenho lindas lembranças!Abraços,

Rosemildo Sales Furtado disse...

Belo poema, fez-me lembrar os belos dias de infância e adolescência.

Abraços,

Furtado

intervalo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
intervalo disse...

Obrigada pela visita,adoro passear por estas ruas aki,seu espaço e poesias saõ lindos.Desejo-lhe um final de tarde inspirador.beijoss com carinho

Dalton França disse...

Amigo Rangel, você oportunizou um belo e revigorante regresso à provinciana Lorena da minha infância.
Grato por avivar-me sentimentos tão especiais nessas suas 'ruas antigas'.
Um abraço!

ŁǺи¥ disse...

Ter o que recordar é sinal que vivemos... e que estamos vivos... "recordar é viver!"

Lindo post!

Abraço

Ela disse...

Olá ... estamos oferencendo um selo aos nossos amigos e seguidores.

bjos
Ela

Sonia Schmorantz disse...

As ruas de nossa vida...foram tantas, de todas formas, para todos os fins, mas sempre nos levavam a algum lugar. Ainda gosto de todas as ruas, das pessoas que ali andam, cada qual com suas preocupações, é um momento em que nos reconhecemos pequenos, só mais um nesse universo de pessoas...
um abraço

Sonia Schmorantz disse...

As ruas de nossa vida...foram tantas, de todas formas, para todos os fins, mas sempre nos levavam a algum lugar. Ainda gosto de todas as ruas, das pessoas que ali andam, cada qual com suas preocupações, é um momento em que nos reconhecemos pequenos, só mais um nesse universo de pessoas...
um abraço

Anne M. Moor disse...

Saudades das raizes é aconchegante...

Boa noite.

Sandra S. disse...

Lindo, Lindo poema :)

A garota do copo d'gua disse...

recordar é viver!

boa semana
;*

Faces de Mulher disse...

Na nostalgia da infância...
Encontramos-nos...
Como é bom reviver estes momentos...
Belos tempos onde não tínhamos as inquietudes de sermos adultos...
Apesar de minha alma não ter deixado de ser criança...
Parece que foi ontem...
Que eu queria saber o que existia debaixo da batina do padre...
Que subia em árvores...
Que amava ir à casa da vovó receber carinho e comer bolinhos de milho...
Amei a nostálgica leitura...
Linda tarde!!!
Chrys
;)

DocePecado disse...

Lindo Alfredo !!

Saudosista

Bj

Magnólia-menina disse...

Belissimo texto!
Lembranças,momentos,recordações...

Um abraço :)

Sandra S. disse...

Eu disse que voltaria e voltei :)
Ao ler-te comecei a pensar em como será quando voltar à casa que vivi durante toda a minha infância, como será ao passar nas mesmas ruas e parar nas mesmas esquinas de quando tinha 7/10/11 anos...
Já são quase 7 anos sem lá meter os pés. Tenho curiosidade. Sentirei saudades? Nostalgia? Há vezes em que acredito que não sentirei nada para além de uma pequena pontada do lado esquerdo do peito...uma pequena pontada, nada mais.


Um beijinho

Wanderley Elian Lima disse...

Amigo Rangel.
Acho que todos nós temos uma rua na lembrança, da minha , onde fui feliz só resta o nome. Não passo mais lá, as recordações são tantas que acabam me machucando.
Um abração