quarta-feira, 22 de julho de 2009

Mares


Todos os caminhos percorridos
têm destinos certos, sabidos.
Todos os ventos, mesmo os mais frios
nos envolvem.
Como um olhar apaixonado.
Como um sorriso franco,
que o destino prepara.
Assim, de confortos passageiros,
segue a vida...
Singrando mares tão revoltos
quanto calmos.
Convém, todavia,
saber remar!
Ilustração: 2.bp

8 comentários:

Anne M. Moor disse...

Quando a água bater no nariz aprende-se a remar na marra e bem ligeiro rsrsrsrsrsrs

Esse caminho que descreves poeticamente e que desliza no ler é a vida. A vida que pede coragem, vontade e pirraça!!

Beijos e boa viagem :-)

Graça Pereira disse...

Sim, é preciso saber remar... quantas vezes o barco dá voltas sobre voltas, preso por dentro ao destino que lhe cortou as asas do sonho! Bj Graça.

Érica disse...

Sempre. Estamos expostos aos sentimentos, as sensações. Elas que guiam, que surgem sem fazer barulho. Viver se privando, tentando não se levar, é viver fustigando a alma, flagelando as emoções. Eu amo as minhas dores, minhas lágrimas. Amo até meu sentimento mais vil. São as coisas que me fazem sentir que me atraem.
Nem preciso dizer que adorei o poema né?
rsrs..
Beijos

Géssyca disse...

É verdade.
É preciso saber remar, é preciso saber viver.
Adorei o texto, ele é claro e realista.

Michelle Crístal disse...

maré acompanhadas pelo barco, lindo barco e belas poesias,embora novas ondas possam surgir...são limpidas tuas aguas...

Opuntia disse...

Como diz o poeta "a vida vem em ondas como o mar". Portanto, temos que saber não só remar, mas também surfar.

confesso disse...

Poeta...

Que venham os mares... Revoltos... Calmos... Você sempre os dominará.



Beijos prolongados...

intervalo disse...

Poeta seus poemas pra mim são como as águas do mar,calma e incertas como o vento nunca sei se vai p/ sul ou norte,envolvem os passageiros a remarem com paixão.Lindo poema.beijoss meus