domingo, 26 de julho de 2009

Senhor do nada


Sou fabricante de sonhos,
inventor de todos os silêncios,
aquele que semeia os ventos,
o que faz correr todas as idades...

Sou o que o veneno não vinga,
o que chora nas manhãs,
poupando todas as tuas lágrimas.

Sou o dono de todas as sombras
e de todas as sementes
e dos canteiros já feitos,
Senhor de tudo e de todos,
herdeiro da solidão...

Ilustração: geocities

15 comentários:

intervalo disse...

que os sonhos naõ deixem de serem fabricados,ventos soprem levando sementes,que as lágrimas deixem de cair,que a solidão seja apenas imaginária...Rangel que lindo poema,Boa noite que seja de sonhos inspiradores

Nanda Assis disse...

herdeiro da solidão, coisa mais forte e poema fascinante.

bjosss...

brisonmattos disse...

ainda bem que isso é só sua poesia. Não gostaria de conhecer alguém assim com esse perfil...nem mortinha da silva sauro dos santos. BEIJOS PRA VC

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A qualquer hora em que chegares,
sentarás comigo à minha mesa.
A qualquer hora em que bateres a minha porta,
o meu coração também se abrirá.
A qualquer hora em que chamares,
eu me apressarei.
A qualquer hora em que vieres,
será o melhor tempo de te receber.
A qualquer hora em que te decidires,
estarei pronto para te seguir.
A qualquer hora em que quiseres beber,
eu irei a fonte.
A qualquer hora em que te alegrares,
eu bendirei ao Senhor.
A qualquer hora em que sorrires,
será mais uma graça que o senhor me concede.
A qualquer hora em que quiseres partir;
eu irei à frente nos caminhos.
A qualquer hora em que caíres,
eu estenderei os braços.
A qualquer hora, em que te cansares,
eu levarei a cruz.
A qualquer hora em que te sentires triste,
eu permanecerei contigo,
A qualquer hora em que te lembrares de mim,
eu acharei a vida mais bela.
A qualquer hora em que partires,
ficarás com a lembrança de uma flor.
A qualquer hora em que voltares,
renovarás todas minhas alegrias.
A qualquer hora que quiseres uma rosa,
eu te darei toda roseira.
Eu te digo tudo isso, porque não posso imaginar
uma amizade que não seja toda,
de todos os instantes e para todo bem.

by: Cid Moreira

Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
Abraços
Eduardo

Érica disse...

Sonhos? Tempo? Tanta coisa pode ter poder sobre a existência, os sentimentos.
Lindo poema.
Beijos e uma ótima semana.

Wanderley Elian Lima disse...

Rangel, és o senhor dos poemas. Lindo...
Um grande abraço

Paula Laranjeira disse...

cada vez gosto mais de vim aqui...lindo texto!!

Anne M. Moor disse...

Herdeiros da solidão, Rangel, somos todos. O segredo está em lidar com esses momentos de solidão que nos tiram o fôlego e apertam a gogó...

Beijos

Valéria disse...

Rangel, vc - "senhor do nada"...? Errado... vc é o senhor dos sonhos, acha pouco?
Adoro este espaço, ele faz meu dia realmente melhor...
Com carinho,
Valéria

Graça Pereira disse...

"Sou aquele que procura os silêncios" K.Gibran.
A sua poesia cada vez me surpreende mais: é campo arado onde brotam flores de todas as estações. Quero colhê-las todas e fazer o mais belo ramo de sempre. Um bj e óptima semana. Graça

Vivian disse...

...intensa lucidez.

somos senhores do nada.
presas da solitude, esta
que nasce e morre conosco.

o mais são ilusões a nos
ajudar a jornada.

bj, poeta!

Faces de Mulher disse...

Rangel boa noite!!!
Fabricante de sonhos...
Lendo sua poesias sinto vontade de sonhar...
Como é gratificante estar aqui...
Chrys

pauloveras disse...

Lindo poema. Na verdade, és Senhor de tudo.
Abraços e boa semana.

LomiAyurveda disse...

Não continues com isto...
Disse que; magoarmo-nos, não voltava a acontecer, por isso aqui estou quando possível ...
Não esqueças por favor e colocamos uma pedra em cima do assunto.

Contaste ao mundo inteiro, só contei a uma pessoa. Arrasaste reputações, impressões...Não chega?
Falta mais alguma coisa?

Aceita os sentimentos dos outros, para respeitarem os teus.
Cultiva afectos, é bom ,é bonito, procura quem te conheça bem, paz, colo, porto seguro...sabe tão bem.

AMA-TE MAIS.
Bj. amigo

Almirante Águia disse...

É o poeta

um fabricante de sonhos
o placebo que cura
o veneno da solidão

abraços