sábado, 11 de julho de 2009

Velho mapa

Ah! Minha vida perdeu-se neste emaranhado
de dias confusos, nestes olhares de repreensão,
neste nervoso bater de dedos sobre a mesa da discórdia.
E meus olhos, ardentes de noites em claro,
já não conseguem se fixar em nada.
Cansados, querem apenas o consolo das lágrimas.
Ah! Por caminhos desconhecidos, há muito, me perdi
e não tenho mais o velho mapa da volta para casa!
Ilustração: wikipedia

19 comentários:

O mar me encanta completamente... disse...

E lá vamos espreitando a alma
de quem escreve...
E reconhecendo-nos nos sentimentos e anseios...
Amei este poema,assim como todos
os outros que tive o prazer de ler.

Dias felizes para ti, poeta querido!

Beijinhos

Glória

Anne M. Moor disse...

Como diz a Emilie Dickinson "Há outro céu" meu poeta triste mas brilhante!

Olha na linha do horizonte para achar teu alento...

Beijos

Vivian disse...

...poeta, meu poeta,
uma vez que a casa existe,
sempre haverá tempo de voltar
a habitá-la,
agora mais consciente de novos
olhares, de novas paredes
com quadros pintados com tintas
de caminhos e paisagens
percorridos em busca do amor.


bjbj

confesso disse...

Poeta...

Se nas buscas sem tréguas não mais encontra o caminho, melhor secar as lágrimas e seguir em frente...
Novos horizontes risonhos esperam você...

Beijos direcionados para a felicidade...

Graça Pereira disse...

Meu Amigo
Também eu perdi o velho mapa de volta para minha casa...os sonhos esfarraparam-se, o caminho ficou mais só...resta-me nas mãos o perfume das minhas rosas.Um abraço pelo carinho Graça

Giane disse...

Querido Rangel;

Por vezes, para se reencontrar é preciso se perder.
E no caminho do reecontro, encontramos as partes da bússola que nos auxiliará a seguir o rumo certo, para mais sábios, não nos perdermos se possível, nunca mais.

Beijos mil!!!

Opuntia disse...

De vez em quando é bom "nos perder" para encontrar novos caminhos e, nessa busca, o melhor mapa é da intuição.

Bjos

Nydia Bonetti disse...

Hoje, especialmente, me sinto assim... me comoveu teu poema, Rangel.
Um abraço
Nydia

Nanda Assis disse...

nada disso aqui tem forma, tem sentimentos, tudo é ilusão. nãp se pode perder de forma alguma, o mais importante é nossa familia, nosso lar, que se ausentarmos, sentirão muita falta. as vezes a discordia é a falta que fazemos transformada.

bjosss...

Mahria disse...

Quando te leio, tua poesia, so me dar um vontade: te abraçar. Te olho no perfil, releio a poesia, e sinto novamente essa vontade.


Sinta-se abraçado!
BJS

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda

Desejo um belo domingo e uma linda semana.
Abraços

intervalo disse...

Profundo,real..palavras ficaram engasgadas na garganta,beijos com carinho meu.Lia...

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Como todas as vezes que aqui entro, encontro belas imagens e poemas muito lindos.
Parabénssss!!!

Doces besos!

Ariadna Garibaldi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariadna Garibaldi disse...

Sem o velho mapa, só resta usar a poesia como bússola... Funciona!

belo poema

Abraços

Ariadna

Úrsula Avner disse...

Caro poeta, o lirismo em seus versos desponta da raiz até o caule e as folhas, em versos e imagens que descrevem sua alma, assim como um mapa aponta caminhos.Um abraço.

Lu Nogfer disse...

Muitas vezes precisamos perder o mapa para encontrar novos caminhos,novas saidas e nos reencontrarmos!
Bela poesia

Bjo gr

Paulo Braccini disse...

feche os olhos e deixa a emoção te guiar ...

;-)

Almirante Águia disse...

Caro Poeta
Muitas vezes nos perdemos nos encontros, outras nos encontramos perdidos, mas sempre haverão chances de visualizarmos o norte.